DEPRESSÃO



O humor é o que colore a nossa percepção do mundo. Quando ele se altera, o nosso jeito de ver o mundo também muda.

Por Vivyanne Farias

O elemento central da depressão é o humor entristecido. Trata-se de uma doença cujo sofrimento é intenso, podendo durar a maior parte do dia por pelo menos duas semanas.

Angústia, desânimo e tristeza profunda são sintomas bastante freqüentes. Normalmente, a pessoa com depressão tem dificuldade de considerar o lado saudável e positivo das situações e adoece como um todo, não se tratando de “fraqueza” ou de uma condição que pode ser superada apenas com força de vontade ou esforço.

As atividades cotidianas se tornam extenuantes e obrigações requerem em um grande esforço, havendo prejuízo no funcionamento ocupacional ou social do individuo. No entanto, nem toda tristeza pode ser chamada de depressão, pois é natural que perdas significativas gerem enorme tristeza em todos nós.

A origem da depressão ainda oculta peças importantes para sua compreensão. Acredita-se que haja uma base hereditária, já que pessoas com história familiar de depressão apresentam maiores chances de desenvolver a doença. Associados a isso, podemos ter fatores sociais e ambientais desencadeantes. Percebe-se que a presença de agentes estressores permanentes antecipa e influencia o curso da depressão, interferindo na sintomatologia e na recuperação.

De todo modo, a depressão é uma doença que pode (e deve) ser tratada. É fundamental que, ao serem percebidos os sintomas, a pessoa procure um profissional de saúde para ser tratada no início, a fim de reduzir o risco de recaídas e viabilizar estratégias mais saudáveis para a pessoa. O tratamento da depressão deve incluir avaliação diagnóstica completa e plano terapêutico que aborde sintomas imediatos e também seu bem-estar futuro.

O tratamento na maior parte dos casos inclui medicação e psicoterapia com excelentes resultados. Os antidepressivos costumam trazer resultados no primeiro mês de uso. Já a psicoterapia é a de extrema importância, pois ajuda a pessoa a identificar pontos importantes que possam ter contribuído para o desenvolvimento da depressão, ao mesmo tempo em que possibilita a elaboração de estratégias para lidar com esses fatores estressantes de maneira saudável.

O psicoterapeuta, baseado num bom suporte teórico e em valores éticos imprescindíveis, deve realizar um manejo adequado, considerando a história do indivíduo, o contexto em ele vive e as circunstâncias envolvidas no processo do adoecimento. É através de boas ferramentas de desenvolvimento pessoal que podemos promover uma vida melhor e mais saudável.

Nenhum comentário: